domingo, 17 de junho de 2012

Progressiva e coloração juntas (ao mesmo tempo) pode?


Pooooode! Acreditem!
Esse foi um desafio que eu lancei na minha aula de Terapia Capilar, no curso de Técnico em Imagem Pessoal (na escola Fórmula, Porto Alegre). Todas as minhas alunas, são cabeleireiras e eu desafiei elas a fazerem uma progressiva, finalizando com coloração! Ta certo que algumas já tinham feito isso, mas sem olhar para a ciência por trás de tudo!
E para provar que eu acreditava na minha teoria química, EU fui a cobaia!
O fato era o seguinte: meu cabelo estava realmente precisando de uma progressiva (foto a baixo). Ele estava muito sem forma (nem liso, nem ondulado), além disso, as luzes estavam com uma coloração indefinida: umas platinadas, umas douradas e outras laranjas! E eu queria tudo dourado!



Então eu propus o seguinte: primeiro fazer uma progressiva com carbocisteína (a marca usada foi a de sempre, Tanagra, Kerapower Perfect Liss). Como essa progressiva deixa cheiro ruim no cabelo, eu sempre aplico o neutralizador da X-Tenso L’Oreal. Como o X-tenso tem oxidantes, ele reage com ligações de cisteína que permaneceram aberta (e tem cheiro ruim, devido ao enxofre livre), fecha essas ligações ou converte a cisteina em ácido cisteico, e o cheiro ruim some. Baseado nesse meu segundo passo é que eu fiz o desafio: como esse oxidante que eu uso depois da progressiva é uma água oxigenada (aproximadamente 8 volumes), eu pedi pra elas colorirem o meu cabelo inserindo a coloração nesse neutralizante da L’Oreal e aplicando após a progressiva feita!

Deu pra entender?

Passo 1: fazer a progressiva
Passo 2: preparar a coloração, usando o neutralizador da X-Tenso ao inves da água oxigenada comum
Passo 3: finalizar a progressiva (tirar o cehiro ruim) colorindo ao mesmo tempo as mexas.

Quem confia que isso da certo?

Vejam bem: a coloração é feita com água oxigenada e a tintura. A Água oxigenada em contato com o pigmento revela ele e colore o cabelo... Poque não usar o neutralizador (que é composto por água oxigenada)?
Logicamente que as preparações para coloração tem um pH mais alcalino e esse neutralizador um pH mais ácido. Mas lembre-se que o pH alcalino é para auxiliar na abertura da cutícula... o que já foi feito pela própria progressiva ainda não totalmente finalizada.
Então, será que da certo?

DEU! 
Elas conseguiram fazer a minha progressiva e “padronizar” a minha coloração das mexas (foto a baixo). Claro que elas aproveitaram também pra dar uma cortadinha (mínima) e uma arrumadinha! ;)



Mas porque assim pode e fica bom e separado (primeiro progressiva e depois coloração) não é recomendado?
Até da pra fazer os dois separados, mas quando se faz os dois processos separados o cabelo é submetido 2 vezes ao processo de abertura de escamas... e isso fragiliza mais os fios. Então, se é possível, reduzir uma etapa de dano, fazendo os dois procedimentos juntos, não é melhor?
O que vocês acham?


5 comentários:

Fernanda Possamai disse...

Ficou lindo!!! vc é uma excelente professora e sentiremos muito sua falta.. bjs FÊ

Denise Soledade Jornada disse...

Eu tb vou morrer de saudade de todas vocês!!!

Anônimo disse...

so uma duvida
a cor vc preparou na proporcao de 1 por 1
ou 1 por 1 e 1/2???

Wellington Sartori disse...

Olá Professora! Atentei para os detalhes do seu Post. As colorações permanentes normalmente são utilizadas com oxidantes de 20 volumes. As temporárias (tonalizantes), com oxidantes de 10 volumes. A utilização de alguns produtos de transformação, não podem ser utilizados fora da sua proposta inicial, mas, se deu certo, tudo bem. Vamos continuar pesquisando, sempre atentos a preservação da saúde dos cabelos. Abração.
Wellington Sartori, Cabeleireiro
Rio de Janeiro.

Katiaemario se amam disse...

nossa tô bestinha, aprendendo quimica agora e amei seu post bjokas

A Estrutura da Pele

A pele é o maior órgão do corpo humano, composta por três camadas: a epiderme, a derme e a hipoderme (camada mais interna de tecido adiposo). Ela atua como uma barreira protetora, prevenindo a perda de água e bloqueando a entrada de agentes exógenos.
Epiderme: é constituída de várias camadas de queratinócitos (células responsáveis pela produção de queratina) em diferentes estágios de maturação. Essa é a camada responsável pela prevenção da desidratação das demais camadas. Na epiderme está o extrato córneo, que é a parte mais externa da epiderme. O extrato córneo é a barreira protetora contra a penetração de substâncias estranhas ao corpo.
Derme: é um tecido elástico e resistente que proporciona resistência física ao corpo inteiro. Essa camada fornece os nutrientes para a derme e é formada por células como fibroblastos, granulócitos, colágeno, elastina, glicosaminoglicanos e glicoproteínas.


A Estrutura do Cabelo

O fio de cabelo é formado pelos seguintes componentes: a cutícula, o córtex e a medula.
Cutícula: é constituída por proteínas, é parte mais externa do fio, sendo responsável pela proteção das células do córtex. É a camada cujas propriedades estruturais servem de proteção contra influências externas, ela é responsável pelo ingresso e egresso de água, o que permite manter as propriedades físicas da fibra. É formada por células escamosas de queratina que se sobrepõem umas as outras, lembrando escamas de peixe, formando uma cobertura.
Cortex: ocupa a maior área seccionada do fio (75 %) e é constituído por células ricas em ligações cruzadas de cistina (enxofre) e células rígidas separadas uma a uma por uma membrana celular. O córtex é formado por macrofibrilas de queratina alinhadas na direção do fio. Distribuídos aleatoriamente no córtex estão os grânulos de melanina cujo tipo, tamanho e quantidade determinam a cor do cabelo.
Medula: No interior do córtex está localizada a medula, porém esse componente pode estar presente ou ausente ao longo do comprimento do fio.